quinta-feira, 4 de julho de 2013

SARNEY JÁ TRATA BARBOSA COMO CANDIDATO

Joaquim Barbosa ainda nega suas pretensões políticas. Mesmo assim, tem comemorado nos bastidores os números do Datafolha, que depois de colocá-lo como o nome preferido entre os manifestantes que tomaram as ruas do País nas últimas semanas, agora deu 13% das intenções de voto ao ministro. Para o ex-presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP) não há mais dúvidas. Barbosa vai disputar a sucessão de Dilma em 2014. Ele não seria o único a renunciar à toga pela disputa.
O ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) está convencido de que Joaquim Barbosa, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), será candidato à sucessão de Dilma Rousseff. Já disse isso a mais de um interlocutor.
 fonte/Mônica Bergamo, da Folha

Um comentário:

  1. geraldo lopes raphael7 de julho de 2013 23:24

    "A gestão de Barbosa no STF é um grande equivoco histórico (e histérico)" assim foi uma parte do pronunciamento do Senador Fernando Collor. Confesso, que não tenho a menor simpatia pelo ex-Presidente e sempre admirei o Ministro Joaquim Barbosa, e ainda mais, fiz parte da unanimidade nacional em torno de seu nome, mas, não posso ficar contra minha consciência, meus conhecimentos jurídicos e passei a conhecer um outro Joaquim Barbosa, quando este, desrespeita diversos colegas ministros, agride de forma ditatorial vários juízes federais, ofende os três poderes e joga um contra o outro, num momento perigoso para o País, e sendo ele um Promotor Público(concursado) e elevado ao" trono" de Ministro por indicação(afinal ele nunca foi Juiz) fez coro e apoiou fim da Pec 37 de uma forma altamente corporativista, é o rei do engavetamento de processos com diversas licenças médica(mas vai a festinhas)sabendo ele, que o povo não tem conhecimento jurídico algum(vejam o posicionamento dos grandes juristas brasileiros como Ives Gandra Martins e tantos outros na Internet). Enfim, me parece que este senhor na presidência seria um grande ditador.

    ResponderExcluir

ESTE BLOG TEM O DIREITO DE RECUSAR COMENTÁRIOS OFENSIVOS.