terça-feira, 22 de novembro de 2011

ATÉ TU OPHIR CAVALCANTE! PRESIDENTE DA OAB E PORTA-VOZ DE TODOS OS MOVIMENTOS CONTRA A CORRUPÇÃO RECEBEU R$ 1,5 MILHÃO SEM TRABALHAR

 E o pregador era também um pecador


Uma velha máxima da filosofia ensina: “Perdoa-se o pecador; o pregador, jamais”. Hoje, atingido por ela foi o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante. Reportagem da jornalista Elvira Lobato, da Folha de São Paulo, revela que ele vem recebendo um salário de R$ 20 mil mensais sem trabalhar. É sua licença remunerada, como procurador do Pará – como todos sabem, um dos estados com mais problemas sociais no País. Somando tudo, Ophir já embolsou R$ 1,5 milhão.
Ophir é também daquelas fontes recorrentes da imprensa, quando há a necessidade de encontrar alguém que vocalize a indignação do povo brasileiro contra a corrupção. Uma marcha contra a corrupção? Um ministro enrolado? Um movimento da elite como o “Cansei”? Bom, nesses casos, “liga pro Ophir”, é o que se diz nas redações.
De acordo com Ophir, seus vencimentos são legais e permitidos pela lei. Mas o fato, agora, é um só: o presidente da OAB perdeu toda a legitimidade para agir como o porta-voz do Cansei. Perdoa-se o pecador, Ophir. O pregador, jamais.
FONTE/BR NOTÍCIAS

Um comentário:

  1. geraldo Lopes Raphael22 de novembro de 2011 22:12

    Isso, meu caro João, sem falar na grana que o órgão em que ele representa( a OAB) recebe daqueles Advogados recém-formados têm que pagar para poder prestar o tal exame da maldita Ordem. São duzentas pratas por cabeça, dinheiro este que ninguém sabe pra onde vai e o pior é que o recém formado só pode exercer a profissão se conseguir ser aprovado neste verdadeiro concurso. Ele é o maior defensor da manutenção desta prova e recentemente conseguiu convencer a Suprema Corte a classificá-lo como Constitucional. É uma pena que a sociedade brasileira não tenha uma visão sobre a OAB de hoje, assim como nossos Ministros pois, para quase todos operadores do Direito esta corte é extremamente política. O Sr. Ophir (parece nome de elevador antigo) é intocável. Tem um poder nas mãos muito grande, bem maior que o Ricardo Teixeira.Diante deste escândalo, me convenço ainda mais, que ser Advogado hoje, não é como era antigamente. Eu nunca me apresento como Advogado. Tenho vergonha. Me apresento sempre como Corretor de Imóveis. No CRECI, não há elevadores velhos, não existe ophires.

    ResponderExcluir

ESTE BLOG TEM O DIREITO DE RECUSAR COMENTÁRIOS OFENSIVOS.